Incrível Istambul

Incrível Istambul – Parte 1
 
Istambul é o coração cultural da Turquia. Cheia de mesquitas, mercados e minaretes,é sem dúvidas uma fabulosa cidade para visitar. 
 
Estivemos por lá durante 5 dias, o que foi mais que suficiente para ver tudo com bastante calma, aproveitando bem cada atração turística. É uma cidade ótima para conhecer com crianças pequenas: nossos meninos se divertiram muito correndo pelos diversos parques e praças de Istambul – sem contar na animação deles ao visitar, o que eles se referiam como “castelos enormes” (as mesquitas e museus).
 
Um fato curioso é que Istambul é a única cidade do mundo que está presente em dois continentes: possui endereços tanto na Europa, quanto na Ásia – impressionante!
A cidade foi a capital do Império Romano Bizantino para depois se tornar capital do Império dos Otomanos, mas o curioso porém: Istambul nunca foi a capital da Turquia, que é Ankara.
Istambul já teve muitos, mas muitos nomes diferentes: originalmente se chamava Bizâncio, depois a conhecida Constantinopla, até finalmente se tornar Istambul em 1930. Os diferentes nomes dados a cidade são associados a diferentes fases da sua história, bem como aos diferentes idiomas. Para quem é fascinada por História como euzinha, é um esbanjo de cultura.
 
Tenho muito para contar sobre Istambul, portanto vou dividir a aventura em 3 posts, assim posso compartilhar tudo nos mínimos merecidos detalhes. 
 
Aonde ficar
Ficamos em um hotel “boutique”, ou seja, em geral são hotéis pequenos, mas aconchegantes e não pertencentes a grandes redes.
Já comentei aqui que quando viajamos com as crianças sempre buscamos hotéis que tenham uma certa infra-estrutura, afinal nosso roteiro é condicionado aos baixinhos. Depois de fazer minha usual pesquisa,  decidi pelo hotel devido as ótimas reviews. Qualquer  hotel na zona Sultanahmet fica super bem localizado, e fizemos a maior parte dos nossos passeios em Istambul a pé. 
 
Nessa foto estou de frente para o hotel, com a Mesquita Azul ao fundo
Era tudo muito perto, ficamos impressionados com a praticidade, estávamos a minutos andando das maiores atrações de Istambul (Mesquita Azul, Basílica Sophia, Palácio Topkapi, Basílica Cisterna a 2-3 minutos). Foi sem sombra de dúvidas, uma ótima escolha.

Dia lindo na Praça Sultanahmet
Mesquita Azul (Blue Mosque) 
 
A chamada Sultanahmet Camii em turco, ou mais conhecida como Mesquita Azul, é a mais famosa mesquita de Istambul. Foi construída durante o governo de Ahmed I, entre 1609 e 1616. Seu carinhoso “apelido” dado pelo visitantes, vem dos azulejos azuis que decoram as paredes do interior da mesquita.
Cúpula da Mesquita Azul

Cúpula da Mesquita Azul

 
No interior da Mesquita Azul – todas as mulheres devem cobrir a cabeça para entrar.
Lembre-se: viajando por essa região sempre carregue um lencinho na bolsa meninas ;)
Minha sugestão número 1 para visitar as mesquitas, é usar roupas apropriadas que cubram os ombros e joelhos, e principalmente, usar sapatos que sejam práticos de tirar e colocar. Afinal, para entrar nas mesquitas (e alguns templos budistas também, como os que visitamos na Ásia), é necessário tirar os sapatos, e colocá-los em sacolas plásticas oferecidas na entrada da mesquita. Eu, que não queria perder a oportunidade de usar a minha bota nova, confesso que deu um trabalhinho na hora de tirar e colocar a dita-cuja, e ao mesmo tempo dar conta da bolsa, câmera, sacola, crianças e marido… Então, fica a dica ;)
 
Além de ser uma grande atração turística, a Mesquita Azul também é um lugar muito religioso e ativo, que recebe além de muitos turistas, centenas de fiéis para as orações que acontecem cinco vezes ao dia. Outra dica importante é ficar atento aos horários das orações (ṣalāh=prayer time), já que a mesquita fecha por meia hora ou mais para os turistas – nos horários pré-determinados para que seus fiéis cumpram seu compromisso religioso.
Segue abaixo os nomes das chamadas para orações em turco/árabe, com ao respectivo horário da oração (que é diferente a cada dia, de acordo com o sol). Ás vezes é a única coisa que você entende saindo da boca de uma guarda que não fala inglês – ṣalāh, ṣalāh!
1.    Imsak/Fajr– antes do nascer do Sol;
2.    Ogle/Dhuhr– próximo a hora almoço;
3.   Ikindi/Asr– à tarde;
4.    Aksam/Maghrib–  ao pôr-do-sol;
5.    Yatsi/Isha  – no início da noite.
Desde que vim morar no Oriente Médio, uso um aplicativo no iphone (gratuito), chamado “Athan”. Nesse aplicativo você vê com precisão os horários das orações de cada dia, dependendo de onde esteja no globo. Assim, você pode programar o seu dia, de acordo com as orações – já que, por exemplo, aqui na Arábia Saudita, tudo fecha para as cinco orações diárias. Mas isso é assunto para um outro post que já está a caminho.
 
Já na Praça Sultanahmet e ao fundo a imponente Mesquita Azul
Hagia Sophia / Santa Sophia
Construída em 537 e até 1453 a ex-basílica serviu como catedral ortodoxa oriental e foi sede do Patriarcado de Constantinopla.  
 
Basílica Santa Sophia por dentro… majestosa!
De 1453 a 1931 o lugar se tornou uma mesquita, e em 1935 passou a ser um museu. Santa Sofia que em turco se chama AyaSofya, que significa Santa Sabedoria, foi dedicada a Sabedoria de Deus. 
 
Logo na entrada ficamos hipnotizados com a gigantesca arquitetura bizantina, que possui muitas colunas de mármores, mosaicos e muitos elementos islâmicos no topo da cúpula principal. A visita é fascinante!
 
Basílica Santa Sophia
Todos os dias que estivemos por Istambul reparamos que entrada para visitação tem sempre filas enormes de turistas ao longo da Praça Sultanahmet.
A Santa Sophia abre todos os dias, de 9:30 as 16:30 da tarde, exceto às Segundas – mas cheque os horários com seu hotel para evitar surpresas.
Basílica Cisterna (Basílica Cistern)
Visitar a Basílica Cisterna (Basilic Cistern), que também fica na praça Sultanahmet foi uma surpresa diferente de tudo o que podíamos imaginar. Muito interessante!
 
A Basílica Cisterna, que se chama em turco “Yerebatan Sarayi”, é hoje a maior cisterna antiga de água do mundo. Incrível como isso foi construído em 512 B.C pelo imperador Justiniano, para abastecer os palácios e outros prédios públicos de Istambul. A Basílica subterrânea tem 336 colunas, com 132m de comprimento por 65m de largura e é uma maravilha da “engenharia” mesmo antes do que conhecemos hoje como arquitetura moderna.
 
Com o pouco de água deixado pela administração do local para dar uma idéia de como a cisterna funcionava séculos atrás, você vê vários peixes, alguns enormes … as crianças lógico, se divertiram de montão :)
 
Caminhado para o final da cisterna pelas pontes suspensas, vimos duas cabeças de Medusa, ambas sustentam colunas. O porque dessas Medusas estarem lá, ainda é motivo de muita discussão, a suposição mais forte seria a de afastar maus espíritos (olha isso!). Sendo verdade ou não, o que importa é que após todos esses anos a Basílica Cisterna ainda esta por lá, e encanta os milhares de turistas que a visitam todos os anos. A Basílica abre todos os dias de 09:00 as 18:30, e a entrada custa 10TL (± $5 dólares), tem uma plaquinha na entrada com horários, e você pode checar no site deles antes de ir.
 
*Surpresa inusitada: Logo na entrada da Basílica, ao descer as escadas para o reservatório subterrâneo, você pode tirar fotos com indumentárias típicas da Turquia. A foto de abertura do post de hoje é um exemplo – foi uma diversão só para a família. Fazendo seu passeio pela imperdível Basílica Cisterna, eu recomendo entrar no clima e tirar a foto como Sultão ou Princesa, e levar para casa mais uma ótima recordação desse lugar mágico!
Palácio Topkapi
 
Outra grande atração de Sultanahmet que visitamos é o Palácio Topkapi. Construído pelo Sultão Mehmet, conhecido como “o Conquistador”. O palácio já foi lar de cerca de 3.000 pessoas. A propriedade é um complexo de vários prédios que são interconectados, e já foi sede da residência real dos Otomanos, administração do estado, já abrigou quartéis militares e já foi até um harem. Claro que a sessão mais popular é a parte do harem :) 
 
Entrada do Palácio Topkapi
Nesse harem viviam cerca de 300 mulheres! O Palácio Topkapi era (e ainda é), sinônimo de luxo e ostentação da vida dos sultões do Império Otonomano. Ele fica localizado bem no alto de Istanbul, oferecendo uma vista panorâmica privilegiada sobre o Bósforo. 
 
 
O Palácio e o museu abrem diariamente, de 09:00 as 17:00 horas, exceto as terças-feiras. O ingresso custa 20 TL (±$10 dólares) – e é preciso comprar um bilhete separado para visitar o harem. Sem dúvidas vale a pena visitar e apreciar a bela arquitetura e tanta história do lugar.
Museu do Tapete bem pertinho do Palácio Topkapi
O próximo post vem recheado com o Grand Bazaar, Praça Taksim, cruzeiro pelo Bósforo, as delícias de Istambul (Bom Demais!), e a famosa dança tradicional dos Derviches. Até breve!
 
by Carla F.
Fotos by Vidal F.

Comments

  1. Morgana says

    Linda foto em familia, amei. Nada melhor que presenciar tudo ao nosso redor ao lado de quem amamos. Parabéns pelo post :)
    Queria saber se ai faz muito frio nesta época?

  2. says

    Quando vc fala: tomar conta de bolsa, maquina, meninos (minha dupla gostosa), marido… acho o maximo… KKKKKKK
    Voce eh 220V + 1001 utilidades… a famosa “correria gostosa”… Bjao

    • says

      A noite fez um friozinho lá sim. Quando estávamos voltando estava esfriando ainda mais (choveu no último dia inclusive). Dezembro e Janeiro pode até nevar… já pensou? Que frio!

      • Ana Lopes says

        Não, não consigo visualizar neve nessa região. Tem foto disso? Só assim eu acredito. kkkkk

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

CommentLuv badge